APqC elabora sugestões aos candidatos a governador para compor o programa de Ciência e Tecnologia do Estado

Reunião agosto 08 (5)

Ontem (07/08), a diretoria da Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC) se reuniu com demais associados para discutir, entre outras pautas, a tramitação do Projeto de Lei Complementar (PLC 04/2018) – que dispõe sobre a equiparação salarial dos pesquisadores –, ações para o segundo semestre e proposições para a construção de um plano de governo para a Ciência e a Tecnologia no Estado. Confira a seguir os principais pontos abordados.

PLC 04/2018 e reposição salarial dos pesquisadores

A Dra. Helena Goldman, advogada da Associação, informou que o PLC 04/2018, de autoria do deputado Campos Machado, encontra-se atualmente na Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), cujo relator, o deputado Teonílio Barba, afirmou ter dado o parecer favorável. Ela ressaltou, no entanto, que a votação do projeto em plenário pode demorar alguns meses e aconselhou os pesquisadores a pressionar os deputados. “É preciso que os pesquisadores, junto à APqC, mostrem força e unidade na Câmara dos Deputados, para acelerar a tramitação do projeto”, disse.

O vice-presidente Joaquim Adelino lembrou ainda que o PLC 04/2018 é meramente autorizativo e não obriga o governo do Estado a equiparar o salário dos pesquisadores científicos ao dos professores universitários, como reivindica a categoria. “Isso só acontecerá se o governo se sentir pressionado e a sociedade entender a importância do nosso trabalho – e para isso precisamos nos manter mobilizados e dialogar com o maior número possível de pessoas”, recomendou.

Uma conversa prévia foi feita com o Secretário de Agricultura e Abastecimento, Francisco Jardim, que reconheceu a necessidade de os pesquisadores lutarem por reposição salarial. “Ele admitiu a defasagem dos nossos salários e se mostrou sensibilizado com a situação dos institutos de pesquisa”, afirmou a presidente Cleusa Lucon. O próximo passo, segundo ela, será solicitar reuniões com os secretários das pastas de Meio Ambiente e Saúde, além do atual governador Márcio França. “É importante mostrar que não queremos só melhores salários, mas que temos um programa de governo para a Ciência e a Tecnologia. Queremos contribuir com os rumos do setor no Estado”, disse.

Proposições da APqC para o governo do Estado de São Paulo

Na sequência foram aprovadas, por unanimidade, as propostas elaboradas pela APqC para a área de Ciência, Tecnologia e Inovação a serem encaminhadas aos candidatos ao Governo do Estado de São Paulo. O documento será entregue também ao governador Márcio França, e propõe, entre outras, a criação por lei complementar de um Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia, a contratação urgente de pesquisadores científicos e de pessoal de apoio, além da destinação de 2% do ICMS aos Institutos de Pesquisa, garantindo assim o cumprimento adequado de suas funções.

Medalha Alba Lavras

No encerramento da Assembleia Geral, a diretoria da APqC sugeriu ainda mudança na indicação dos candidatos a receber a Medalha Alba Lavras, principal honraria concedida pela Associação aos pesquisadores que se destacam a cada ano. O vice-presidente Joaquim Adelino anunciou que os próprios pesquisadores serão consultados previamente e poderão indicar nomes de possíveis homenageados. A diretoria ficaria responsável por escolher os vencedores entre os nomes recomendados pelos Institutos de Pesquisa. “Queremos democratizar a escolha dos indicados e ampliar o alcance do prêmio”, explicou a presidente Cleusa Lucon.

 

 

Comunicado

No dia 01 de agosto, em nome da APqC, os pesquisadores científicos Dr. José Orlando Prucoli, Dr. Percy Correia e Dr. Manoel Leme estiveram na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) em busca de informações sobre o andamento do PLC 04/2018, de autoria do deputado Campos Machado (PTB), que autoriza o Poder Executivo a instituir a equiparação salarial de todos os cargos e funções-atividades correspondentes ao trabalho de pesquisa científica.
Os pesquisadores foram recebidos pelo deputado Teonílio Barba (PT), membro da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, que afirmou ter concluído o parecer e enviado o projeto para que o mesmo siga os trâmites regimentares da Casa. Após ser aprovado pelas comissões responsáveis, a proposta será levada à votação no Plenário.
Dando continuidade à mobilização e também para demonstrar unidade e força em nossas reivindicações por melhores salários e condições de trabalho, os pesquisadores marcarão presença na Alesp, neste sábado (04/08), às 10h, para acompanhar a cerimônia de lançamento da candidatura de Márcio França ao governo do Estado. Contamos com a presença de todos.

Diretoria APqC

Convocação de Assembleia Geral Ordinária 07/08/2018

 

A Associação dos Pesquisadores Científicos – APqC – convoca a Assembleia Geral Ordinária que ocorrerá no dia 7 de agosto de 2018, das 14 horas (última convocação) às 17 horas, no Instituto Biológico, auditório do 5º andar José Reis, em São Paulo.

De acordo com o Edital, o encontro  consolidará o Estatuto da APqC através das reformas estatutárias feitas do ano de 2015 e de 2017. Além disto, serão apresentas informações referentes à ação rescisória e outras atividades desenvolvidas pela diretoria.

Confira abaixo o Edital de Convocação.

Convoca-AGO_07_08_2018.png

Leia a íntegra do Estatuto que será apresentado na Assembleia Geral Ordinária no dia 07 de agosto: Estatuto consolidado da APqC

Contamos com a participação dos associados.

Diretoria APqC.

Biênio 2018/2019

 

Pesquisadores científicos do Estado se mobilizam por melhores condições em ato da SBPC na Paulista neste domingo (8)

No Dia Nacional da Ciência e Dia Nacional do Pesquisador, Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado (APqC) se manifesta em defesa dos Institutos e da manutenção da carreira.

foto_manifesto_butantan1

 Neste domingo (8), uma grande manifestação deve tomar a Avenida Paulista. Em comemoração ao Dia Nacional da Ciência e ao Dia Nacional do Pesquisador, a SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e o IMS devem reunir um grande número de pesquisadores, professores, universitários e divulgadores científicos para uma programação especial, que conta com uma caminhada em defesa da CT&I e da Educação. As atividades são gratuitas e abertas ao público.

Na ocasião, os pesquisadores científicos do Estado de São Paulo, representados pela APqC, decidiram se unir ao movimento a fim de reivindicar melhores condições de trabalho, com a abertura de novos concursos públicos para reposição de profissionais (tanto pesquisadores como de apoio) e manutenção dos Institutos de Pesquisa, que sofrem, há quase 20 anos, um grande processo de desmonte.

O dia 8 de julho é o Dia Nacional da Ciência (Lei nº 10.221, de 18 de abril de 2001) e o Dia Nacional do Pesquisador (Lei nº 11.807, de 13 de novembro de 2008). É também o dia em que foi fundada a SBPC – Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, há exatos 70 anos.

Em São Paulo, as atividades começam às 10h, no Instituto Moreira Salles (IMS), na Avenida Paulista 2424, com uma intervenção comemorativa ao septuagenário da entidade, com apresentação musical Ciência e Música, de Maurício Pereira, e um flash mob do grupo Núcleo Arte Ciência no Palco. A comemoração será seguida de uma caminhada em prol da ciência e educação, que parte às 12h do IMS até o cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. A atividade contará com a participação de bonecos de Olinda, representando quatro grandes cientistas: o físico Albert Einstein, o geógrafo Aziz Nacib Ab’Saber, a psiquiatra Nise da Silveira e o físico José Leite Lopes.

A expectativa é que, a exemplo da última edição da manifestação da comunidade científica, o evento reúna cerca de 1500 pessoas na capital paulista. O intuito, para além da comemoração em si, é chamar a atenção da população para a queda dramática de investimentos do governo em ciência, tecnologia, inovação e educação no Brasil. Neste momento, no Congresso Nacional e no governo, se iniciam as discussões sobre o Orçamento de 2019. É o momento exato de mobilizar toda a sociedade para impedir que mais cortes afetem negativamente esses setores estratégicos do desenvolvimento social e econômico do País.

Aprovado por unanimidade pela Comissão de Administração, PLC 4 agora segue para Finanças

Em caráter de urgência, expectativa é de que o projeto vá a plenário antes do recesso dos parlamentares

Foto_ComissãoAdministraçao1

 Na última quarta-feira, 20 de junho, o PLC 04/2018, de autoria do deputado estadual Campos Machado (PTB), foi aprovado por unanimidade pela Comissão de Administração Pública e Relações do Trabalho na ALESP. Na ocasião, mais de 50 pesquisadores científicos marcaram presença no plenário José Bonifácio, acompanhados por vários assistentes técnicos de apoio à pesquisa, que serão diretamente beneficiados com a aprovação da emenda 2 do PLC.

O projeto, que tramita em caráter de urgência na Assembleia Legislativa com o objetivo de promover a equalização salarial dos pesquisadores, teve como relatora na última comissão a deputada Ana do Carmo (PT), que foi favorável ao projeto e às emendas 01 e 02.

Após a votação, um grupo de pesquisadores foi recebido pela assessoria do Deputado Wellington Moura (PRB), presidente da próxima comissão – a de Finanças, Orçamento e Planejamento -, que se mostrou bastante receptiva e atenta aos prazos e à importância da aprovação do texto, que precisa ser votado ainda antes do recesso parlamentar.

De acordo com a presidente da Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC), Cleusa Lucon, o apoio da classe nas votações e a presença dos profissionais de apoio à pesquisa é fundamental para o andamento do projeto. “Nós estamos mostrando aos parlamentares a importância da pesquisa pública para o nosso País. Precisamos nos unir, lutar por algo muito maior do que a manutenção de um cargo. Lutar pela continuidade da pesquisa de interesse público, que dê resultados a todos, e não somente a alguns. E nós não vamos parar por aqui!”, comemora a presidente da APqC.

Foto_ComissãoAdministraçao2

Projeto voluntário de pesquisa “Plantando Batata com Ciência” completa 10 anos

WhatsApp Image 2018-06-17 at 08.42.27

Ensinar os conceitos básicos de ciências e moldar, desde a infância, potenciais cientistas conscientes da importância da sanidade vegetal – esse é o trabalho que o projeto “Plantando Batata com Ciência” vem realizando há 10 anos na escola pública CEIEF Prof. Jamile Caram de Souza Dias, em Limeira (SP). Ao longo dessa trajetória, a iniciativa já atendeu mais de 800 alunos da rede pública, de 9 a 11 anos de idade, e recebeu a visita de cientistas e estudantes de vários cantos do globo, como Brasil, Canadá, China, EUA e Alemanha.

WhatsApp Image 2018-06-17 at 08.42.23Segundo o pesquisador e idealizador do projeto, Dr. José Alberto Caram de Souza Dias, os conceitos que os estudantes aprendem ao participarem do programa vão desde a observação, acompanhamento e avaliação de plantas de batata com e sem sintomas de viroses, até anotações e debates entre os colegas de classe e professores sobre o assunto. Para isso, cada estudante planta e acompanha o desenvolvimento de quatro brotos destacados de tubérculos de batata sadios e um broto de batata infectada.

“A partir de então, os alunos aprendem que não se pode transplantar sementes ou mudinhas de plantas de um local para outro sem antes saber se elas estão sadias ou, então, quais são as viroses transmitidas por insetos e como isso pode prejudicar as áreas econômicas, sociais e ambientais do nosso país”, explica Dias. Um dos pontos abordados ao longo do projeto, por exemplo, são os enormes prejuízos que os vírus de plantas podem trazer para a agricultura local.

Apoiada desde o início pela empresa Microgeo, que desenvolve um programa de reestruturação do solo por meio do Adubo Biológico Microgeo, e pela Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola (FUNDAG), o projeto “Plantando Batata com Ciência” já é um sucesso consolidado. Além de ter sido divulgado em um jornal de medicina vegetal, na Alemanha, a tecnologia IAC do Broto/Batata-semente, aplicada no projeto, foi premiada em 1° lugar pelo CONSEA-SAA-SP, recebendo o “Prêmio Josué de Castro”, no dia mundial de combate à fome e desnutrição.

No último dia 15 de junho (sexta), a Escola Municipal de Cordeirópolis Profa. Nazareth Lordello sediou a nova edição do “Dia de Transmissão”. Na ocasião, alunos das 4° e 5° séries do ensino fundamental apresentaram alguns dos resultados obtidos ao longo do projeto “Plantando Batata com Ciência”. “Eles aprenderam, de forma prática, como as doenças – no caso, viroses – são transmitidas de uma planta infectada para outra sadia. A partir disso, nos conscientizamos de que as doencas podem sair dos vasos e hortas de casa para as plantações nas fazendas, o que resulta em enormes prejuízos ao País . Eles ainda tiveram a oportunidade de conhecer insetos transmissores de viroses das plantas, como pulgoes e moscas brancas”, explica o pesquisador José Caram.

Saiba mais sobre o projeto: https://www.youtube.com/watch?v=Ac–vVqNwE