Pular para o conteúdo

Horto Florestal comemora 125 anos prestes a ser concedido à iniciativa privada

Em 10 de fevereiro é comemorado o aniversário do Parque Estadual Alberto Löfgren, popularmente conhecido como Horto Florestal. O parque, que completa 125 anos, foi criado em 1896 com a desapropriação do antigo Engenho Pedra Branca, uma fazenda de café e cana-de-açúcar.

Seu idealizador foi o naturalista sueco Alberto Löfgren, chefe da Seção de Meteorologia e Botânica da Comissão Geográfica e Geológica da Província de São Paulo, criada em 1886, que além de ser o embrião do Serviço Florestal (posteriormente Instituto Florestal), também deu origem ao Instituto Geológico.

O espaço foi criado como horto botânico com campos de experimentação e serviço florestal. Ou seja, um local visando à pesquisa e o reflorestamento. Em 1907, o espaço passou a ser sede da Seção de Meteorologia e Botânica e em 1911, já respondendo diretamente à Secretaria de Agricultura, foi transformado em Serviço Florestal do Estado de São Paulo.

Em 1931 foi inaugurado o Museu Florestal. O espaço foi a sede da pesquisa científica do Serviço Florestal (que já expandia-se por todo o Estado de São Paulo) e ali surgiu o herbário, a xiloteca e a biblioteca da instituição, equipamentos que foram ampliados ao longo dos anos dentro da infraestrutura do Instituto Florestal.

O Museu foi criado para funcionar tanto como laboratório de ciência quanto espaço de popularização das atividades científicas realizadas na instituição. Seu acervo é um convite à reflexão sobre o uso racional da biodiversidade paulista. São diversas coleções em madeira e outras plataformas (incluindo a própria arquitetura do Museu) que possibilitam que o espaço conjugue ciência, história e arte de maneira inédita.

Em 1948 o nome de Octávio Vecchi, seu idealizador, foi incorporado à denominação do Museu Florestal. Da mesma forma, o nome de Alberto Löfgren  foi incorporado à denominação do Parque na década de 1990, época em que o rei e a rainha da Suécia visitaram o local.

Ciência, História, Cultura e Meio Ambiente

Além da importância científica, o Parque Alberto Löfgren tem também relevância cultural. A área salvaguarda a história do protagonismo histórico do estado de São Paulo em relação à ciência e à conservação ambiental.

De um ponto de vista mais amplo, o Parque é imprescindível para a compreensão da formação da identidade paulista tal qual conhecemos. De maneira mais localizada, a área mantém um vínculo afetivo com os moradores da região.

Foi no Horto que, em 1939, foi criado o Clube Atlético Silvicultura, agremiação esportiva consagrada no futebol de várzea e que existiu até o início dos anos 2000. Da estrutura do Clube, restou o campo de futebol de tamanho oficial, ainda bastante utilizado pelos visitantes do Parque.

Em 1956 ocorreu no Parque a entronização de uma imagem de São João Gualberto, o santo protetor das florestas esculpido em mármore de carrara e vinda da Itália. Em 1970 o Parque ganhou uma estátua do Curupira, entidade fantástica de nosso folclore, e em 2019 ganhou nova imagem em reposição à anterior que havia sido depredada décadas antes (a antiga foi recuperada e encontra-se no Museu).

O Parque Estadual Alberto Löfgren possui ainda uma indiscutível beleza cênica. Seus lagos e arboretos, que abrigam uma rica biodiversidade bastante próxima à área urbana, são um convite aos apreciadores da natureza. A área, com centenas de espécies de fauna, é bastante propícia para o turismo de observação de aves.

Fonte: Assessoria de Comunicação / IF

Hoje, 10 de fevereiro, às 15h, ocorrerá em ambiente virtual audiência junto à comunidade científica e as discussões serão focadas na operação do Museu Florestal Octávio Vecchi. No dia 25 de fevereiro de 2021, às 17h, acontecerá a Audiência Pública com a Sociedade Civil, também em ambiente virtual sobre o projeto de concessão do Horto Florestal à iniciativa privada (a APqC recomenda a todos os pesquisadores e pesquisadoras que participem de modo a tentar barrar qualquer prejuízo à continuidade dos serviços prestados por esta instituição pública centenária, bem como aos servidores).   As inscrições serão realizadas a partir das 9h da data de realização da audiência através do link (aqui). Além de poder participar das audiências, qualquer pessoa ou instituição pode enviar suas contribuições para o e-mail consema@sp.gov.br, até as 18h do dia 4 de março de 2021. 
Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: