Pular para o conteúdo

Covid-19: Instituto Butantan e Fiocruz pesquisam vacinas simultaneamente

O Instituto Butantan de São Paulo e a Fundação Oswaldo Cruz – Fiocruz, do Rio de Janeiro, vinculada ao Ministério da Saúde, lideram os projetos de pesquisa para a produção de vacinas contra o novo coronavírus SARS-CoV-2 no Brasil. As instituições trabalham em cooperação com projetos de pesquisa de laboratórios diferentes. O Butantan, com o chinês Sinovac Biotech e, a Fiocruz, com o britânico Astra Zeneca, em conjunto com a Universidade de Oxford.

Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan, declarou na semana passada que a pesquisa da qual participa é “uma das mais promissoras do mundo, talvez a mais promissora de todas”. O Butantan irá realizar a terceira e última fase de testes da vacina, que prevê a vacinação de nove mil voluntários em doze centros de estudos clínicos distribuídos em São Paulo e mais cinco estados do país. O estudo cego controlado inclui a aplicação de um placebo em outro grupo de voluntários para avaliar a eficiência da vacina em relação aos não vacinados. Segundo o governador João Dória, a capacidade de produção do Butantan é de 100 milhões de doses. O primeiro lote de 60 milhões de doses, porém, será entregue pelo laboratório chinês e distribuído gratuitamente pelo SUS.

O início dos testes já foi aprovado pela Anvisa. As inscrições dos voluntários – todos profissionais de saúde – começam na próxima segunda-feira (13) e, os testes, em 20 de julho. Os participantes da avaliação clínica não podem ter sofrido infecção provocada pelo coronavirus, não devem participar de outros estudos e não podem estar grávidas ou planejarem uma gravidez nos próximos três meses. Outra restrição é que não tenham doenças instáveis ou que precisem de medicações que alterem a resposta imune.

As expectativas do Ministério da Saúde, por meio da Fundação Oswaldo Cruz, são semelhantes. O acordo também é considerado pelo ministério o mais promissor do mundo, e prevê a compra de 100 milhões de doses e a transferência de tecnologia entre os laboratórios britânico e a Fiocruz.

Na fase inicial do projeto, o governo federal irá investir 127 milhões de dólares, ainda sem comprovação da eficiência da vacina. Os testes clínicos, que São Paulo já está iniciando, serão realizados entre outubro e novembro próximos. Somente depois de comprovada a eficácia da vacina a Fiocruz receberá os dois primeiros lotes de 15,2 milhões de doses cada, em dezembro deste ano e janeiro de 2021.

Os profissionais de saúde e os integrantes dos grupos de risco à COVID-19 – idosos e portadores de comorbidades graves – terão prioridade de acesso à vacina, segundo o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Arnaldo Correia de Medeiros. “Tendo a eficácia comprovada e garantida da vacina, assim como a segurança, iremos priorizar a população mais vulnerável a essa doença”, afirmou.

Embora não haja garantias de que a vacina será eficaz, a socióloga Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz, ressalta que ela pode contribuir para o país superar outras doenças. “Assumimos um risco de natureza econômica para ter a vacina no Brasil, um compromisso financeiro, esperando que o produto seja bem sucedido, mas claro que ele pode não se provar eficaz. Há muitas pesquisas sem resposta sobre o coronavírus, e acredito que a escolha desta vacina foi muito bem pensada. Não somos o único país a tomar esta iniciativa. Outros também estão conciliando ensaios clínicos e produção de lotes sem ter certeza sobre o resultado final”, disse a presidente da Fiocruz ao jornal O Globo.

Nísia avalia que uma vacina eficaz pode ajudar o Brasil a se preparar para outras epidemias. “Teremos tecnologia para combater uma série de doenças, especialmente os vírus respiratórios. Há muitas pesquisas que estão usando um vetor viral, como a que estamos trazendo agora, para combater doenças. A própria Universidade de Oxford está recorrendo a esse método para desenvolver vacinas contra o ebola e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers), declarou ela ao jornal.

Fonte: Instituto de Saúde, com informações do Portal do Governo de São Paulo

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: