Pular para o conteúdo

Projeto “Plantando Batatas com Ciência”, de pesquisador do IAC, recebe apoio de empresa brasileira

caram_iac

Em tempos tão difíceis como esse, de pandemia, vale a reflexão: o que sua empresa tem feito, antes mesmo da crise ou durante, para agregar conhecimento de forma positiva às pessoas? A Microgeo, empresa 100% brasileira, do setor de biológicos, por exemplo, apoia desde o início o Projeto voluntário Plantando Batata com Ciência, que aborda muitos ensinamentos do período que a sociedade vive atualmente. O programa, que começou no ano de 2008, foi idealizado pelo Dr. José Alberto Caram de Souza Dias, pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), e tem como objetivo ensinar os conceitos básicos de ciências e moldar, desde a infância, potenciais cientistas conscientes da importância da sanidade vegetal.

Voltado para crianças de 9 a 11 anos de idade, o projeto acontece nas escolas municipais CEIEF Jamile Caram de Souza Dias, em Limeira (SP), e EMEIEF Maria Nazareth Stocco Lordello, em Cordeirópolis (SP). No programa, cada estudante é orientado a plantar e acompanhar até a colheita o desenvolvimento de plantas de batatas (Solanum tuberosum). Para isso, são utilizados vegetais sadios e com algum tipo de virose, comum no cultivo da cultura. Essa ação garante aos alunos tanto a percepção de alguns conceitos básicos de acompanhamento/ observação e avaliação, quanto o conhecimento dos benefícios do cultivo orgânico.

“E é neste momento que entendemos que o trabalho que aplicamos é mais do que importante. É uma forma de aprendizagem para a vida como um todo, já que estamos há 12 anos ensinando alunos a serem guardiões e ajudarem no controle dos vírus que podem estar presentes em plantas de batata, especificamente. Podemos então, associar o vírus na batata com o novo coronavírus na humanidade, e afirmar que os estudantes que tiveram a experiência em participar do programa, possuem noções básicas do que estamos enfrentando e o que deve ser feito para prevenir a doença”, afirma Dr. José Alberto Caram de Souza Dias.

Os ensinamentos no Projeto Plantando Batata com Ciência são totalmente focados em plantas com e sem vírus, oferecendo oportunidade de ensino, de forma simples e segura, ressaltando aspectos fundamentais da ciência da virologia, como epidemiologia, nomenclatura, testes de detecção, sintomas, transmissão/ disseminação, prevenção e controle. “Esses conhecimentos, apesar de específicos para vírus que só infectam plantas, também são destaques para controlar e prevenir o vírus na sociedade”, explica Caram.

Segundo ele, o projeto ainda mostra sementes, mudas, brotos, ramas, galhos ou borbulhas que precisam, antes de serem plantados, passar por isolamento (quarentena vegetal) e análises – testes para saber se a planta a ser desenvolvida estará com ou sem o vírus e outras pragas, algo semelhante ao que vêm sendo frequente neste período de quarentena com as pessoas. Além disso, o programa ensina conceitos básicos e fundamentais de higiene individual e comunitária, como lavar as mãos com água e sabão, por exemplo”, destaca.

O Plantando Batata com Ciência é realizado duas vezes por ano, pois o ciclo de vida da planta é curto (80-90 dias do plantio à colheita) e os sintomas de virose são visíveis desde o início. A ação conta com duas etapas: a primeira – teórica, que ocorre dentro da sala de aula com os professores, e a segunda – prática, na qual os alunos vão até a estufa para fazer o plantio e acompanhar o desenvolvimento das plantas. Para que o projeto seja realizado com sucesso, a Microgeo disponibiliza a inovadora tecnologia Microgeo®, que permite a produção e o uso do adubo biológico no cultivo das batatas.

“Apoiamos esse projeto por sua iniciativa de unir duas inovações científicas: a técnica IAC-Broto/Batata-semente e a tecnologia Microgeo®. A ação já educou aproximadamente 2.000 alunos, despertando nas crianças a consciência ecológica nas relações sanitárias das plantas com o meio ambiente e o conhecimento de poderem aplicar tudo que aprenderam com o programa, no dia a dia, principalmente, nesta quarentena”, cita o Engenheiro Agrônomo e Diretor de P&D da Microgeo, Paulo D’Andréa.

Fonte: Agrolink 

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: