Pular para o conteúdo

Artigo: “Saúde única: importante em tempos de pandemia ou em qualquer tempo”

Bauru, 14 de maio de 2020

SAÚDE ÚNICA, IMPORTANTE EM TEMPOS DE PANDEMIA OU EM QUALQUER TEMPO

A relação entre doenças que afetam humanos e animais é estudada desde o século 19. Iniciou-se com o médico patologista alemão Rudolf Virchow (1821-1902) que assertivamente afirmava que entre animais e a medicina humana não há divisórias e nem deveria haver. E foi ele o responsável pela criação do termo zoonose (doença infecciosa capaz de ser naturalmente transmitida entre animais e seres humanos), mas foi apenas na década de 1960 que Calvin W. Schwabe, conhecido como “pai de apqc1epidemiologia veterinária”, criou o termo “medicina única”, que mais tarde daria origem ao conceito de Saúde Única (One Health). O tema foi abordado em seu livro “Veterinary Medicine and Human Health”, no qual Schwabe enfatizava a necessidade de colaboração entre as medicinas humana e veterinária para efetivamente curar, prevenir e controlar doenças que afetam tanto humanos como animais.
Em 2004, um simpósio dedicado a debater abordagens interdisciplinares de saúde em um mundo globalizado permitiu a criação de um documento conhecido como “Princípios de Manhattan”, que define 12 prioridades no combate às ameaças à saúde de humanos, animais e da vida selvagem, formando assim as bases para o conceito de Saúde Única.
Saúde Única representa o conceito perfeito da relação indissociável entre as saúdes animal, humana e ambiental e recebe o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e do Banco Mundial (BM) para a aplicação de estratégias conjuntas de saúde que garantam o bem-estar não apenas do ser humano, mas de todo o planeta. Reconhece, por meio de uma visão integrada, a importância de como humanos e animais interagem ecologicamente em um ambiente, onde qualquer alteração nesta relação provocará desequilíbrios e, consequentemente, a propagação de doenças.
Questões como o aumento da demanda mundial para produção de alimentos, os efeitos das mudanças climáticas sobre a relação entre o ambiente, humanos e animais evidenciam a importância multidisciplinar na abordagem da Saúde Única.
Os serviços da Medicina Veterinária, em seus componentes públicos e privados, desempenham um papel essencial no desenvolvimento e implementação de políticas para gerenciar os riscos à saúde animal. Ao proteger a saúde e o bem-estar dos animais contribuem significativamente para melhorar a saúde humana, bem como a segurança e proteção dos alimentos.
Segundo a OIE, cerca de 60% das doenças humanas têm em seu ciclo a participação de animais, portanto, são zoonóticas, assim como quase 75% dos agentes patogênicos das enfermidades infecciosas emergentes do ser humano são de origem animal.
Além disso, calcula-se que a cada ano aparecem cinco novas enfermidades em todo o mundo, sendo que três são de origem animal. A OIE adverte também que 80% dos agentes patogênicos potenciais para fins de bioterrorismo são zoonóticos.
No Brasil, um exemplo importante de interdisciplinaridade foi conquistado pelo trabalho do Conselho Federal de Medicina Veterinária e Zootecnia – CFMV com a participação de Médicos Veterinários no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), atuando ao lado de outros profissionais que trabalham pela qualidade da atenção básica à Saúde nos municípios brasileiros, desde 2011.
Em todo o mundo, no dia 3 de novembro, comemora-se o Dia da Saúde Única, mas é em 2020, frente aos desafios de uma Pandemia, que a Saúde Única no Brasil e no mundo ganha mais importância, definindo políticas, legislação e o rumo das pesquisas, onde a união interdisciplinar se destaca, tanto no desenvolvimento e aplicação de diagnósticos, quanto no tratamento e na busca da cura, atuando diretamente em ações na Saúde Pública visando a redução dos riscos para a saúde global.
Olhar o todo, como uma só saúde torna-se fundamental no combate à pandemia da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19) e de outras doenças que podem ser melhor prevenidas e combatidas por meio da atuação integrada entre a Medicina Humana, a Medicina Veterinária, e outros profissionais.
A Ação Estratégica do Ministério da Saúde – “O Brasil Conta Comigo – Profissionais da Saúde” é um exemplo deste olhar. No dia 02/04/2020, o Ministério da Saúde publicou a Portaria nº 639/2020, que determina o cadastramento dos profissional da área de saúde (Serviço Social, Biologia, Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia e Técnica em Radiologia) e também a participação nos cursos à distância que os capacitarão com base nos protocolos clínicos oficiais de enfrentamento à pandemia de Covid-19. O objetivo do Ministério da Saúde é mapear os profissionais de saúde, para orientar as suas ações voltadas à pandemia de Covid-19, bem como deixar todos atualizados em relação aos protocolos, videoaulas e informações importantes para cada categoria profissional.
No Estado de São Paulo, a carreira de Pesquisador Científico une os principais pilares da Saúde Única: Saúde, Agricultura e Abastecimento e Meio Ambiente. Médicos, Médicos Veterinários, Zootecnistas, Biólogos, Químicos, Engenheiros Agrônomos, Engenheiros Ambientais, Engenheiros de Alimentos, Economistas, entre outros, compõe o quadro de pesquisadores.
As pesquisas realizadas por estes profissionais sempre foram destaque no Brasil e no mundo, mas em tempos de Pandemia, o trabalho realizado nas Instituições de Pesquisa do Estado de São Paulo tem se destacado e chamado a atenção de governantes e da população em geral.
Laboratórios montados pelos pesquisadores científicos com o apoio do governo e de instituições de fomento para o desenvolvimento de pesquisas estão sendo utilizados pelo Estado no combate ao novo vírus (Sars-Cov-2) causador da doença Covid-19, com a realização incansável de diagnósticos, pesquisas relacionadas ao tratamento da doença e o desenvolvimento de vacina.
Desde o início da doença no Estado houve uma evolução fantástica no tempo da entrega de resultados de diagnóstico. Com estes resultados é possível identificar rapidamente o aumento de casos no Estado, no intuito de que sejam tomadas decisões para contenção do avanço da doença no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde, assim como pelo Governo Federal.
O Instituto Adolfo Lutz – IAL, Laboratório Central de Saúde Pública do Estado de São Paulo, como responsável pelas análises laboratoriais para a detecção do novo coronavírus no Estado, vem atuando, desde o início de fevereiro de 2020, quando da liberação dos primeiros resultados do Brasil, à época negativos, de exames em amostras de casos suspeitos. Os pesquisadores do IAL fazem parte do projeto CADDE, que tem apoio da FAPESP e do Medical Research Council (MRC) do Reino Unido, que desenvolve novas técnicas para monitorar epidemias em tempo real e, em conjunto com o Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e com a Universidade de Oxford, completou o sequenciamento do primeiro caso de coronavírus da América Latina, apenas 2 dias após o caso ter sido confirmado.
Demonstrando mais uma vez a importância da visão de Saúde Única, além do Centro de Virologia do IAL, uma força-tarefa forneceu novas áreas físicas e equipamentos neste Instituto para realização de testes diagnósticos, reunindo profissionais dos Centros de Imunologia, Bacteriologia, Patologia, Parasitologia e Micologia, de Alimentos e de Procedimentos Interdisciplinares, que se dispuseram, de maneira espontânea e dedicada, a trabalhar para auxiliar na realização dos exames.
Outro importante destaque é o Instituto Butantan, que além da realização de diagnósticos da Covid – 19, realizou um trabalho hercúleo na produção da vacina trivalente contra gripe que protege contra três cepas da doença (H1N1, H3N2 e B) e que foi disponibilizada pelo Ministério da Saúde para os grupos prioritários em todo o território nacional. Esta produção foi ampliada para 75 milhões de doses em 2020 e a campanha de imunização em São Paulo antecipada em 23 dias antes do prazo inicialmente planejamento. A antecipação foi extremamente importante para que menos pessoas fossem infectadas com os vírus da gripe colaborando assim com a rapidez e precisão do diagnóstico na população de casos suspeitos de coronavírus. Além disso, está sendo desenvolvido por pesquisadores do Instituto Butantan um produto composto por anticorpos para combater a doença Covid-19. Estão sendo selecionados anticorpos monoclonais neutralizantes de células de defesa (células B) do sangue de indivíduos curados da doença. O objetivo é localizar proteínas com a capacidade de se ligar ao vírus para neutralizá-lo. As moléculas mais promissoras serão produzidas em larga escala para serem utilizadas no tratamento da enfermidade.
A Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do Instituto Biológico (IB), também está atendendo o Estado no diagnóstico da Covid-19. O Laboratório de Viroses de Bovídeos do Instituto, que possui instalação de Biossegurança Nível 3 (NB3), com sede na capital, recebeu avaliação satisfatória do Instituto Adolfo Lutz para prestar o atendimento durante a pandemia.
Além disso, pesquisadores da Secretaria da Agricultura e Abastecimento de São Paulo continuam gerando conhecimento para melhorar a economia e garantir a segurança alimentar colaborando com a saúde da população, assim como os Pesquisadores da Secretaria de Meio Ambiente estudam o melhor manejo de áreas nativas e a preservação da qualidade da água essencial para a vida.
A verdade é que, “Em tempos de Pandemia ou em qualquer tempo”, a carreira de Pesquisador Científico do Estado de São Paulo é um grande exemplo de profissionais de diversas áreas, que atuam no desenvolvimento de pesquisas e tecnologias em prol da Saúde Única, do Estado, do Brasil e do Mundo.

Dra. Maria Izabel Merino de Medeiros
Médica Veterinária
Pesquisadora Científica VI – APTA
Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Mais informações:

Clique para acessar o folder_SU.pdf


https://www.oie.int/en/for-the-media/onehealth/
http://www.ial.sp.gov.br/ial/perfil/homepage/destaques/a-atuacao-do-ial-no-enfrentamento-a-pandemia-da-covid-19
http://www.biologico.sp.gov.br/noticia/laboratorio-da-secretaria-de-agricultura-de-sao-paulo-fara-testes-para-o-covid-19

Butantan acelera produção para antecipação da Campanha de Vacinação contra a Gripe


Clique para acessar o al868e00.pdf


http://www.fao.org/europe/news/detail-news/en/c/1170251/

um comentário Comente
  1. joaquimadelino66gmailcom #

    Parabéns! pela exposição. Só mais um detalhe o Estado conta ainda com a SUCEN, que parte dos pesquisadores estudam as zoonose.

    Curtir

    maio 14, 2020

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: