Pular para o conteúdo

Instituto Butantan começa a fazer testes do coronavírus

covid

O Instituto Butantan começou a fazer os testes do coronavírus na útima sexta-feira (3). O Instituto aguardava há uma semana a certificação para iniciar os diagnósticos. O laboratório foi homologado pelo Instituto Adolfo Lutz, que é vinculado à Secretaria Estadual da Saúde.

Um dia antes, o diretor do Butantan, Dimas Tadeu Covas, assumiu o comando da plataforma de laboratórios de diagnóstico de coronavírus, criada pelo governo do estado para dar agilidade aos trabalhos e ampliar a rede de laboratórios credenciada.

Para conseguir zerar a fila de exames que aguardam análise e liberar os resultados em até 48 horas, o coordenador disse que irá aumentar o número de funcionários no Adolfo Lutz, que passará a funcionar durante 24 horas ininterruptas.

“Nós temos que fazer o sistema funcionar, automatizar, por isso que estão sendo comprados equipamentos e reagentes. O prazo máximo que se espera para esses exames é de 24 a 48 horas, no máximo. Não podemos ter exames represados porque eles refletem em tempo real a evolução da epidemia”, disse.

Diagnósticos

De acordo com o coordenador, o estado tem, hoje, dez instituições públicas participando ativamente das análises dos exames. Ele destacou ainda que mais dez laboratórios privados foram credenciados para realizar os testes e aguardam liberação.

Tadeu Covas detalhou de que forma o trabalho da plataforma de testes, comandada pelo Instituto Butantan, será organizada. Ele ainda afirmou que o estado não irá enfrentar falta de testes para população. “Não vai faltar teste para ninguém para o monitoramento desta epidemia”. A Associação dos Pesquisadores Científicos do Estado de São Paulo (APqC) acompanhará o processo.

Plataforma

Segundo publicado no Diário Oficial na quinta-feira passada, Tadeu Covas passa a ser responsável pela Plataforma de Laboratórios de diagnóstico de coronavírus. Pelo texto, caberá à plataforma, além de realizar os testes, proceder avaliações técnicas para aquisição de insumos e definir protocolos de trabalhos. Com a medida, o Instituto Adolfo Lutz fica subordinado aom diretor do Instituto Butantan.

As instalações de um novo laboratório no Instituto Butantan começaram no dia 25 de março. O espaço recebeu uma pipetadora e equipamentos de extração do RNA do vírus e de RT-PCR automatizados. A expectativa do coordenador é que os testes comecem a ser feitos o mais rápido possível.

O Butantan também já adquiriu os primeiros lotes de reagentes necessários para a realização dos exames e está implementando um software de rastreabilidade de amostras.

Laboratórios 

Dimas Tadeu Covas afirmou que à frente da coordenação dos testes, irá ativar a rede da USP, que tem capacidade para realizar 45 mil exames por mês, e ampliar as jornadas de trabalhos.

“Vamos ativar os Lutz (laboratórios) regionais, que devem passar a fazer exames no máximo até segunda-feira (6) e vamos tentar implementar um segundo turno de atividades. Com isso podemos ter aí rapidamente as 12 mil amostras”.

De acordo com Covas Tadeu, o governo do estado de São Paulo deve importar 1,3 milhão de testes. “Neste momento nós estamos em negociação direta com o governo da Coreia do Sul. Esperamos que estes testes cheguem aqui ainda na primeira quinzena de abril”, afirmou.

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: