Pular para o conteúdo

APqC apoia Dr. Dimas Tadeu Covas, diretor do Instituto Butantan, para Conselho Superior da Fapesp

A FAPESP está realizando, no período de 16 a 20 de dezembro de 2019, a votação para compor a lista tríplice para preencher uma vaga no seu Conselho Superior. Esta vaga é destinada às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa, Oficiais ou Particulares, em funcionamento no Estado de São Paulo, excetuadas as Universidades Estaduais Paulistas. As Instituições de Pesquisa do Estado de São Paulo que se credenciaram para votar até o dia 11/10/2019 foram: I. Botânica; I. Butantan; I. Economia Agrícola; I. Florestal; I. Tecnologia de Alimentos e SUCEN. Estas Instituições poderiam apresentar um candidato para representar os Institutos no Conselho Superior da FAPESP. Se inscreveram 2 representantes dos Institutos de Pesquisa, o Diretor do Instituto Butantan, Dr. Dimas Tadeu Covas e o PqC do I. Florestal Dr. Miguel Luiz Menezes Freitas. O currículo de ambos pode ser visualizado no site da FAPESP (https://votar.srv.br/fapesp2019/candidatos/index.html). O numero de PqCs que podem participar desta votação por instituto é dependente do numero de Doutores e de projetos na FAPESP (https://votar.srv.br/fapesp2019/documento/credenciadas.pdf), e aqueles que podem votar são indicados pela diretoria dos Institutos.)
A APqC considera de extrema relevância possuir um representante no Conselho Superior da FAPESP e apoia a candidatura do Dr. Dimas Tadeu Covas pelo seu empenho em reativar o Fórum dos Diretores, desde 2018, como um canal ágil para discutir as questões relevantes que os Institutos de Pesquisa vem enfrentando atualmente e também pela sua visão clara da distinção de papel entre os Institutos de Pesquisa e as Universidades na produção de conhecimentos aplicados à sociedade. Assim, estamos divulgando o seu plano de trabalho e a sua visão sobre os Institutos e como ele pretende atuar em caso de ser eleito como representante dos Institutos de Pesquisa.

Carta aberta do Dr. Dimas Tadeu Covas à categoria

Prezadas Pesquisadoras, Prezados Pesquisadores,
Os Institutos de Pesquisa do Estado de São Paulo são essenciais para o desenvolvimento tecnológico e econômico do país.
Diferentemente das universidades, os Institutos têm por missão pesquisar, desenvolver e produzir conhecimentos, processos e produtos que visem sanar desafios vividos pela sociedade paulista e brasileira nos mais diversos setores, como a saúde, a agricultura, o meio ambiente e a indústria.
Para cumprir esta importante missão, os Institutos dependem do apoio do governo. O entendimento da especificidade desta missão é, portanto, fundamental para a obtenção perene deste apoio, que acontece por meio dos órgãos de fomento que são diretamente responsáveis pela avaliação, financiamento e, por fim, aprovação de projetos de risco.
E deste ponto origina o motivo da minha correspondência.
A FAPESP, órgão de fomento ligado a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, tem por missão apoiar as atividades de P&D no Estado. O que vem ocorrendo, entretanto, é que os recursos orçados para esta atividade acabam sendo majoritariamente direcionados para projetos de natureza exclusivamente acadêmica, advindos das Universidades. É essencial que tanto a pesquisa, quanto a P&D sejam contempladas pelas políticas públicas.
Os Institutos há muito reivindicam critérios adequados não só para a avaliação dos seus projetos, como também da performance de seus pesquisadores. Há muitas resistências a estes pleitos, em parte pela falta de compreensão da atividade de P&D.
Por estes motivos, é fundamental que os Institutos tenham um representante seu no Conselho Superior da FAPESP. Até recentemente, isso era impossível dado o Estatuto que privilegiava as Universidades Públicas. Com a mudança do Estatuto da FAPESP, pela primeira vez, os Institutos têm a real possibilidade de serem representados no Conselho.
Assim, eu me increvi como representante dos Institutos para a eleição que se inicia hoje, dia 16 de dezembro, e se prolonga até o dia 20 de dezembro. Acredito que será a oportunidade ideal para iniciarmos, enfim, uma profunda discussão sobre a necessidade de nossas expertises para o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado e do País, em um ambiente ainda alheio as nossas características.
Gostaria de contar com seu voto como representante dos Institutos de Pesquisa do Estado. Se escolhido, defenderei a pauta de Integração dos Institutos ao sistema de C&T do Estado e do fortalecimento e valorização da carreira de Pesquisador Científico do Estado.
Peço o seu apoio neste momento crucial para todos nós.
Cordialmente,
Dimas Tadeu Covas
Diretor do Instituto Butantan

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: