Pesquisadores científicos do Estado comemoram mais uma vitória na luta pela isonomia salarial

APqC_CCJ_2018
Pesquisadores científicos se reúnem na ALESP para acompanhar parecer da CCJ sobre PLC

Na última quarta-feira, 9 de maio, o PLC 04/2018, de autoria do deputado estadual Campos Machado (PTB), que tramita na Assembleia Legislativa com o objetivo de promover a equalização salarial dos pesquisadores, foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ). A iniciativa foi considerada compatível com as formalidades técnico-jurídicas.

De acordo com a presidente da comissão, a deputada estadual Célia Leão (PSDB), é necessária e urgente a votação do projeto. “Fizemos uma longa caminhada até aqui para chegarmos a um bom termo deste projeto. Foi o primeiro passo, mas a perseverança é o caminho para a vitória”, ponderou a deputada. O deputado estadual Davi Zaia (PPS), membro da CCJ, também se manifestou na ocasião ressaltando a importância do trabalho desenvolvido por todos os profissionais ligados à Pesquisa Científica do Estado. “Podemos ver aqui hoje reunidos diversos profissionais responsáveis por importantes pesquisas da Agricultura e do Agronegócio, por exemplo. Todos merecem o nosso respeito”, admitiu o deputado.

A partir de agora, o projeto passará pela Comissão de Administração Pública e Relações do Trabalho e, em seguida, pela Comissão de Finanças e Orçamento. As deliberações das Comissões são publicadas para que todos as conheçam e podem ser acessadas no site da ALESP (https://www.al.sp.gov.br/).

Se aprovado em ambas comissões, o Projeto estará pronto para ir a plenário. Então, em momento oportuno, o presidente da Assembleia inclui o projeto na ordem do dia das votações. Se aprovado pelo plenário, ele então segue para a sanção do governador.

De acordo com a advogada e assessora jurídica da APqC, Dra. Helena Goldman, o Projeto de Lei Complementar objetiva sanar uma verdadeira injustiça, na qual pesquisadores que trabalham lado a lado, sobre a mesma bancada, com a mesma peculiaridade do cargo e requisitos de investidura, recebem vencimentos diferentes. A advogada explica que a equalização pretendida deve ocorrer com o pagamento da diferença de salários entre o que os Pesquisadores Científicos vêm recebendo pelo exercício do cargo e o que recebem seus colegas de carreira pelo exercício de cargos idênticos, em decorrência de decisões judiciais que lhes reconheceram o direito a equivalência salarial e o cumprimento das legislações estaduais anteriores.

Uma consideração sobre “Pesquisadores científicos do Estado comemoram mais uma vitória na luta pela isonomia salarial”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s